terça-feira, 28 de dezembro de 2010

"Não sou pra todos. Gosto muito do meu mundinho. Ele é cheio de surpresas, palavras soltas e cores misturadas. Às vezes tem um céu azul, outras tempestade. Lá dentro cabem sonhos de todos os tamanhos. Mas não cabe muita gente. Todas as pessoas que estão dentro dele não estão por acaso. São necessárias."

Caio Fernando Abreu

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

"Tô me afastando de tudo que me atrasa, me engana, me segura e me retém. Fui ser feliz, e não volto."


Caio Fernando Abreu

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

"... que minha solidão me sirva de companhia,
que eu tenha a coragem de me enfrentar, que eu saiba ficar com o nada
e mesmo assim me sentir como se estivesse plena de tudo..."

Clarice Lispector

domingo, 19 de dezembro de 2010

Tentar dar o troco achando que não vai se machucar em dobro mais tarde, é burrice.

Charles Bukowski

sábado, 18 de dezembro de 2010

"O amor é paciente, é bondoso; o amor não é invejoso, o amor não é jactancioso, não se envelhece; não faz nada indecoroso, não busca seu próprio interesse, não se irrita, não se ressente do mal; não se alegra com a injustiça, mas se regozija com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta."

(1 Corint. 13:4,5,6-7)

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

"Se não for hoje, um dia será.Algumas coisas, por mais impossíveis e malucas que pareçam, a gente sabe, bem no fundo, que foram feitas pra um dia dar certo."


Caio Fernando Abreu

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

"Quando estou perto de você, sinto um sol de felicidade dentro do meu coração."


(Meu Pé de Laranja Lima - José Mauro de Vasconcelos)

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

"Pactos.
Acho que é isso. Não de sangue nem de nada que se possa ver e tocar.
É um pacto silencioso que tem a força de manter as coisas enraizadas,
um pacto de eternidade, mesmo que o destino um dia
venha a dividir o caminho dos dois."

Martha Medeiros

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

"quem sabe direito o que uma pessoa é? antes sendo: julgamento é sempre defeituoso, porque o que a gente julga é o passado".

Guimarães Rosa

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

"Somos tudo o que fazemos, e sobretudo o que fazemos para mudar o que somos."

(Eduardo Galeano)

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

"A imaginação não gera a insanidade. O que gera a insanidade é exatamente a razão"


G.K.Chesterton

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Ela

"Ei, irmã...
deixa esse cabelo pro alto, irmã
deixa esse fios enrolarem, e escaparem,
do ferro, da grade, do padrão, da modelagem,
deixa... os ventos levarem, e armarem, e amarem,
sua tranças, cachos e dreads, eriçarem.
Sua, originalidade, sua verdade, sua alma de
rainha, sua habilidade de dizer ao sol, que
o teu calor ja te aquece, e sua pele agradece,
o brilho que recebeu pelos raios seus.
E deixa a chuva, cair sem culpa, e esculpir,
E deixa a lua, com seu sereno, encarregar-se de,
mostrar que tu é a lindeza da terra,
mulher da natureza, tu é quem governa,
quem reluz a luz do dia e da noite,
pura beleza.
Liberte-se desse ritual cotidiano,
irma, a beleza que seu sangue carrega
não combina, com a opressão de suas raizes,
veja você, quem disse que assim que é
pra ser, o que já fez, que crédito tem?
Só mal que veio oferecer.
Só mal que veio oferecer....
Sua, originalidade, sua verdade, sua alma de
rainha, está contida em seu ser e se expressa,
pelas formas de suas mechas,
então liberte-as, deixe-as livres,deixe-as crescer.
Não deixe o mal inibir o que é seu.
Não deixe o mal retirar o que é seu...
Deixa enrolar, deixa enrolar,
deixa crescer... ser você...
ser você..."

Ela

(Bia Daflô)

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

- aos que ousam Andar Com Fé -

Andar com fé
é saber que cada dia é um recomeço,
é ter certeza que os milagres acontecem
e que os sonhos podem se realizar.

Andar com fé
é saber que temos asas invisíveis,
é fazer pedidos a estrelas cadentes
e abrir as mãos para o céu.

Andar com fé
é olhar sem temor
as portas do desconhecido,
ter a inocência dos olhos da criança,
a lealdade do cão,
a beleza da mão estendida
para dar e receber.

Andar com fé
é usar a força e a coragem
que habitam dentro de nós
quando tudo parece acabado.

Andar com fé
é saber que temos tudo a nosso favor,
é compartilhar as bênçãos multiplicadas,
é saber que sempre seremos surpreendidos
com presentes do Universo,
é a certeza que o melhor sempre acontece
e que tudo aquilo que almejamos
está totalmente ao nosso alcance.
Basta só Andar com Fé !


Silvia Schmidt Humancat

domingo, 21 de novembro de 2010

"Não importa o que a vida fez de você, mas o que você fará com o que a vida fez de você".


Jean Paul Sartre

domingo, 24 de outubro de 2010

"Daqui a cinco anos você estará bem próximo de ser a mesma pessoa que é hoje, exceto por duas coisas: os livros que ler e as pessoas de quem se aproximar".


Charles Jones

terça-feira, 19 de outubro de 2010

"Loucura, eu penso, é sempre um extremo de lucidez. Um limite insuportável."

Caio Fernando Abreu

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

´ O amor é uma espécie de preconceito. A gente ama o que precisa, ama o que faz sentir bem, ama o que é conveniente. Como pode dizer que ama uma pessoa quando há dez mil outras no mundo que você amaria mais se conhecesse? Mas a gente nunca conhece. ´


Charles Bukowski

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

"O Brasil é o único país no mundo em que puta goza, cafetão se apaixona, traficante é viciado e POBRE É DE DIREITA."


Tim Maia

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Acho que sou bastante forte para sair de todas as situações em que entrei, embora tenha sido suficientemente fraco para entrar.

Caio Fernando Abreu

terça-feira, 5 de outubro de 2010

"A esperança tem duas filhas lindas: a raiva e a coragem.
A raiva do estado das coisas e a coragem para mudá-lo."


Santo Agostinho

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

'Em momentos de crise, só a imaginação é mais importante do que o conhecimento'.


(Albert Eistein)

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Livro do desassossego

"É humano querer o que nos é preciso, e é humano desejar o que não nos é preciso, mas é para nós desejável. O que é doença é desejar com igual intensidade o que é preciso e o que é desejável, e sofrer por não ser perfeito como se se sofresse por não ter pão. O mal romântico é esse: é querer a lua como se houvesse maneira de a obter".
Fernando Pessoa

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

"Num deserto de almas também desertas, uma alma reconhece de imediato a outra".


Caio Fernando Abreu

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

“É de se crer que as paixões ditaram os primeiros gestos e arrancaram as primeiras vozes... Não se começou raciocinando, mas sim sentindo. Para comover um jovem coração, para responder a um agressor injusto, a natureza dita acentos, gritos, lamentos. Eis aqui as palavras mais antigas inventadas, e eis aqui por que as primeiras línguas foram melodiosas e apaixonadas antes mesmo de serem simples e metódicas... Eis aqui como o sentido figurado nasce antes do literal, quando a paixão fascina os nossos olhos, e a primeira noção que nos oferece não é a da verdade”.

Jean-Jacques Rousseau

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Saudade é um pouco como fome. Só passa quando se come a presença. Mas às vezes a saudade é tão profunda que a presença é pouco: quer-se absorver a outra pessoa toda. Essa vontade de um ser o outro para uma unificação inteira é um dos sentimentos mais urgentes que se tem na vida.

Clarice Lispector

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

"Algumas coisas ferem demasiado. Um simples virar de rosto. A conversa interrompida sem nenhum gesto brusco. O silêncio que se instaura torrencial como uma tempestade de verão. A notícia de alguém querido que partiu. Tudo o que deixa o coração destronado. A saliva que não se consegue engolir. Nesses momentos, tenho a impressão que o grande abismo da existência nos abocanha com a força de mil locomotivas. É como invadir a ordem estabelecida de uma casa, minar os seus alicerces. Todo ser humano já deve ter sentido isso alguma vez. A insustentável sensação de deslocamento".

José de Assis Freitas Filho

sábado, 21 de agosto de 2010

A legião estrangeira

"Amor é quando é concedido participar um pouco mais. Poucos querem o amor, porque o amor é a grande desilusão de tudo o mais".

Clarice Lispector

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Medo de se apaixonar

"Você tem medo de se apaixonar e não prever o que poderá sumir, o que poderá desaparecer. Medo de se roubar para dar a ele, de ser roubada e pedir de volta. Medo de que ele seja um canalha, medo de que seja um poeta, medo de que seja amoroso, medo de que seja pilantra, incerta do que realmente quer - talvez todos em um único homem, todos um pouco por dia. Medo do imprevisível que foi planejado. Medo de que ele morda os lábios e prove o seu sangue".

(do livro O amor esquece de começar, Carpinejar

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

"O tempo, o tempo, esse algoz às vezes suave, às vezes terrível demônio, absoluto, conferindo qualidade à todas as coisas. É ele ainda hoje e sempre quem decide. E por isso que me curvo cheio de medo, e erguido em suspense me perguntando qual o momento, qual o momento preciso da transposição? Que instante, que instante terrível é esse que marca o salto, que massa de vento, que fundo de espaço concorre para levar ao limite, o limite em que as coisas já desprovidas de vibração deixam de ser simplesmente vida na corrente do dia a dia, para ser vida dos subterrâneos da memória".

Raduan Nassar

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

"Quando bebemos, ficamos bêbados. Quando ficamos bêbados, dormimos. Quando dormimos não cometemos pecados. Quando não cometemos pecados vamos para o céu... Portanto vamos ficar bêbados para ir ao céu!".

Brian O´Rourke

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Solidão não é prejudicial a saúde

"Há uma necessidade cultural de chamar para se divertir um filho que lê um livro no quarto. Será que aquilo também não é diversão? Escutei muito: "Vá brincar lá fora, tem sol". Dentro não pode ter sol?Duvido, sim, dos que não ficam um pouco em si, mergulhados, imersos, centrados, costurando as palavras com os cílios da agulha, tramando uma figura no pano de prato, uma figura que nunca terá legenda. Os pensamentos conversam quando paramos de ouví-los".

(do livro O amor esquece de começar, Carpinejar)

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

"O tempo, o tempo e suas águas inflamáveis. Esse rio largo que não cansa de correr, lento e sinuoso, ai daquele, dizia o pai, que tenta deter com as mãos o seu movimento, será consumido por suas águas. Ai daquele, aprendiz ou feiticeiro, que abre sua camisa para o confronto, há de sucumbir nas suas chamas. O tempo e suas mudanças, presente em cada sítio, em cada palmo, em cada grão, e presente também em cada instante, em cada letra dessa minha história passional, transformando a noite escura do meu retorno numa manhã cheia de luz".

Raduan Nassar

domingo, 15 de agosto de 2010

"Tudo é ilusão, tudo é só estrada que corre e corre, e todas as estradas vão para o mesmo lugar. Que as paisagens em volta desta estrada sejam belas, então".


Caio Fernando Abreu

sábado, 14 de agosto de 2010

"Assim como falham as palavras quando querem exprimir qualquer pensamento, assim falham os pensamentos quando querem exprimir qualquer realidade."


Alberto Caeiro

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

"Passo o tempo todo pensando - não raciocinando, não meditando - mas pensando, pensando sem parar. E aprendendo, não sei o quê, mas aprendendo. E com a alma mais sossegada (não estou totalmente certa). Sempre quis "jogar alto", mas parece que estou aprendendo que o jogo alto está numa vida diária pequena, em que uma pessoa se arrisca muito mais profundamente, com ameaças maiores. (...) Disso tudo, restam nervos muito sensíveis e uma predisposição séria para ficar calada".

Clarice Lispector

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

"Não sei o que fazer quando a pessoa vem até mim; eu sou dessas que vão até a pessoa. Ser escolhido é perturbador. Tenho que pedir, tenho que escolher".


Clarice Lispector

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

O TODO NADA MAIS É DO QUE A PARTE ACRESCIDA DE OUTRAS PARTES E SE QUERES ENTENDER O TODO DEVE-SE ENTÃO PROCURAR A ESSÊNCIA DA PARTE.EM ÚLTIMA INSTÂNCIA SE SE QUER CONHECER O MUNDO HUMANO A SOCIEDADE E QUAIQUER OUTRAS CRIAÇÕES OU RECRIAÇÕES ENGENDRADAS PELOS HOMENS, DEVO CONHECÊ-LOS EM ESSÊNCIA E A ESSÊNCIA ESTÁ NA PARTE QUE AO SER CONJUGADA ESCONDE O REAL E SE TRANSVESTE DE IDEAL." A RAIZ DO HOMEM É O PRÓPRIO HOMEM".


Valdir Jr. (vulgo: Monge)

terça-feira, 10 de agosto de 2010

"Tenho feito descobertas importantes, por exemplo: o pecado é simplesmente tudo o que Cristo não fez. (...) Tenho tido muitas oportunidades de ficar calado. (...) Tenho tido vontade de voltar. (...) Tenho certeza que não volto mais".


Fernando Sabino

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Fica comigo esta noite.

"Respondeste que a verdade é que estás apaixonada por mim e que eu gosto de ir para a cama contigo e ponto final. E me perguntaste se me parecia bem magoar alguém por causa de uma verdade tão pindérica, ou se eu queria ser teu namorado. Não, não quero ser namorado de ninguém. A vida já não pode ser clandestina, que o seja ao menos o amor".


Inês Pedrosa

domingo, 8 de agosto de 2010

Nas tuas mãos

"(...) nos esgares de uma saudade às vezes insultosa, porque a ausência é um lugar de destroços".


Inês Pedrosa

sábado, 7 de agosto de 2010

"Há tantos anos me perdi de vista que hesito em procurar para me encontrar. Estou com medo de começar. Existir me dá às vezes tal taquicardia. Eu tenho tanto medo de ser eu. Sou tão perigoso. Me deram um nome e me alienaram de mim".

Clarice Lispector

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

A eternidade e o desejo

"Era-me fácil cativar as mulheres. Estudei para isso; ser professor é ser um cativador profissional. Neste meio vivemos de seduzirmos uns aos outros; às vezes acho que os livros, o conhecimento, são apenas pretextos que justificam o funcionamento desta máquina de sedução. Dizes que saber demasiado também atrapalha os sentimentos. Não passamos a vida a dizer que a literatura não se faz de bons sentimentos, Clara? O que é uma estupidez como outra qualquer. Há livros cheios de maus sentimentos que também não valem o esforço da leitura. Dizes que os sentimentos não são bons nem maus. Que é uma questão de circunstância. Dizes que as boas palavras é que parecem gastas - porque já não sabemos ouvi-las até o fim".


Inês Pedrosa

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

"Uma coisa eu já adivinhava: era preciso tentar escrever sempre, não esperar um momento melhor porque este simplesmente não vinha. Escrever sempre me foi difícil, embora tivesse partido do que se chama vocação. Vocação é diferente de talento. Pode-se ter vocação e não ter talento, isto é, pode-se ser chamado e não saber como ir".

Clarice Lispector

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Salve sua vida

"Escuto a mim mesma exatamente como uma esposa traída de novela - e odeio isso. Mas não consigo refrear-me. Alguns demônios falam através de minha boca enquanto meu corpo olha como um espectador, pasmado, envergonhado".


Erica Jong

terça-feira, 3 de agosto de 2010

"Melhor levar para o lado do riso do que para o stadenervos, certo? Aí vai, aos trancos, mas vai (...) Recito Fernando Pessoa - "Tudo vale a pena/ se a alma não é pequena", dez vezes ao dia, gasto toneladas de incenso, sacas de sal grosso. E vamos levando. Se ficar heavy metal demais, dou o fora".

Caio Fernando Abreu

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

"Brincar com crianças não é perder tempo é ganhá-lo. Se é triste ver meninos sem escola mais triste é vê-los sentados, enfileirados, em salas sem ar, com exercícios estéreis a formação do homem-cidadão."

(Carlos Drumond de Andrade)
"Tive vontade de ir de mansinho até a cozinha e abrir o gás. Talvez matá-lo também? Tive vontade de pegar uma faca na cozinha e enfiar no coração dele, depois no meu. Tive vontades de Maria Bethânia, vontades Maysa, vontades Fassbinder - teatrais, melodramáticas".

Caio Fernando Abreu

domingo, 1 de agosto de 2010

"Estou ficando de pedra, já nada me comove ou me interessa. (...) D. Bluma ficará mais uma vez sozinha. (Gostaria de encontrar uma palavra que exprimisse mais que sozinha - você que sabe da força das palavras, veja uma e me mande)".


Bluma Wainer

sábado, 31 de julho de 2010

"Espero um dia poder sair deste círculo vicioso em que minha "alma caiu".


Clarice Lispector

sexta-feira, 30 de julho de 2010

"Meu mal é fazer perguntas. (...) desde pequena eu era toda uma pergunta".


Clarice Lispector

quinta-feira, 29 de julho de 2010

"É preciso ser muito feliz para viver numa cidade pequena, pois ela alarga a felicidade como alarga também a infelicidade. De modo que vou morando mesmo aqui no Rio. Você sabe, nas cidades grandes todos sabem que em cada apartamento existe uma espécie de solidariedade, pois em cada apartamento mora uma pessoa infeliz".


Benjamin Moser

quarta-feira, 28 de julho de 2010

"Tudo o que eu tenho é a nostalgia que vem de uma vida errada, de um temperamento excessivamente sensível, de talvez uma vocação errada ou forçada".


Clarice Lispector

terça-feira, 27 de julho de 2010

"Você pega mil ondas que eu não capto. Eu me sinto como um rádio vagabundo, de galena, só pegando a estação da esquina e você de radar, televisão, ondas curtas".


(Rubem Braga para Clarice Lispector. Clarice, de Benjamin Moser)

segunda-feira, 26 de julho de 2010

"Tudo me atinge - vejo demais, ouço demais, tudo exige demais de mim".


Benjamin Moser

domingo, 25 de julho de 2010

"Tua carta me fez muito bem. E muito mal. Compreendo tudo que você diz. São coisas que me digo, também. Mas há uma diferença entre você saber intelectualmente da inutilidade das procuras, da insaciabilidade - vixe, que palavra! - do corpo e conseguir passar isso para o seu comportamento - tornar ato o que é pensamento abstrato. Os caminhos são individuais/intransferíveis".


Caio Fernando Abreu

sábado, 24 de julho de 2010

“MEU CORPO É MINHA ALMA VISÍVEL; E MINHA ALMA É MEU CORPO INVISÍVEL. E QUEM PROCURA DISTINGUIR ENTRE ESSES DOIS ESTADOS, ESTARÁ TOTALMENTE ERRADO, POIS A FLOR E O PERFUME DA FLOR SÃO UMA COISA SÓ.TODOS OS LUGARES E TODAS AS ÉPOCAS SÃO ESTADOS ESPIRITUAIS. FECHE OS OLHOS, E VERÁ NAS PROFUNDEZAS DE SUAS PROFUNDEZAS, O MUNDO EM SUA TOTALIDADE MATERIAL E IMATERIAL, E VERÁ O FIM COMO SE FOSSE O COMEÇO E O COMEÇO COMO SE FOSSE O FIM."


G. KHALIL G.

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Medo de voar

"Às vezes, punha-me desafiante e achava que tinha todos os direitos de me valer de qualquer prazer que me fosse oferecido na curta duração de minha vida na terra. Por que não devia ser feliz e hedonista? O que havia de mau nisso?".

Erica Jong

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Nas tuas mãos

"Tornei-me uma especialista em homens impossíveis. E a minha filha Natália segue-me os passos, até porque os homens impossíveis crescem na proporção contrária às possibilidades do mundo. Ambas somos herdeiras de uma ausência que está para além do nosso controle ou da nossa compreensão".


Inês Pedrosa

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Nas tuas mãos

"Desde que os psicólogos inventaram o luto, a vida ganhou outro ritmo, muita velocidade, mais ação. Vejo cada vez mais gente a dirigir-se sobriamente para o cinema no minuto seguinte ao do desmoronar dos sentimentos, bebendo doses de violência colorida, sessão após sessão, até que a dor se esfacele como o papel de uma pastilha elástica esquecida no bolso. Os que se demoram no luto para lá dos prazos previstos pelos tratados de saúde mentam tornam-se incômodos, cansativos como crianças, nunca se sabe o que se lhes há-de-dizer".

Inês Pedrosa

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Nas tuas mãos

"Trago no meu sangue que é dela esta calada paixão pelos amores mortos, esta determinação de só depois entender o essencial, de amar as distâncias como única proximidade do céu. Apaixonei-me toda, desvairadamente, comecei a encher de fumo e lágrimas o meu antigo quarto de menina, por isso me sinto tão perto de si, dessa adolescência imóvel que é a sua, doença violenta e mansa, incurável ferida do sangue que se alimenta de uma música sépia a que, por discrição, damos o nome de dor".


Inês Pedrosa

domingo, 18 de julho de 2010

Obsessão

"(...) sensação de que palpitava em meu corpo e em meu espírito uma vida mais profunda e mais intensa do que a que eu vivia."


Clarice Lispector

sábado, 17 de julho de 2010

"Eu achei sim, uma nova amiga. Mas você sai perdendo. Sou uma pessoa insegura, indecisa, sem rumo na vida, sem leme para me guiar: na verdade não sei o que fazer comigo. Sou uma pessoa muito medrosa. Tenho problemas reais gravíssimos que depois lhe contarei. E outros problemas, esses de personalidade. Você me quer como amiga mesmo assim? Se quer, não me diga que eu não lhe avisei. Não tenho qualidades, só fragilidades. Mas às vezes (...) mas às vezes tenho esperança."


Clarice Lispector

sexta-feira, 16 de julho de 2010

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Nas tuas mãos

"Não tinha medo de se perder; sabia que esse é o preço da inquietação. Nem sequer tinha medo de ser mal-entendido".

Inês Pedrosa

quarta-feira, 14 de julho de 2010

"Ela o amou até morrer", sua amiga Rosa Cass lembrava. Mesmo que o caso não tenha durado muito e que Paulinho tenha optado pela esposa e pela família, para Clarice não foi fácil aceitar. Dali a mais de uma década escreveu um conto... (...) Num tom mais lírico, Clarice podia estar pensando em Paulinho quando escreveu: "Às vezes no amor ilícito está toda a pureza do corpo e alma, não abençoado por um padre, mas abençoado pelo próprio amor".


(Sobre o relacionamento de Clarice Lispector com Paulo Mendes Campos. Clarice, de Benjamin Moser, p. 370)

terça-feira, 13 de julho de 2010

“Vivo com essa sensação de abandono, de falta, de pouco, de metade. Mas nada disso é novidade. Antes dele, teve o outro, o outro que continua indo embora para sempre porque nunca foi embora pra sempre. Eu não sei deixar ninguém partir, eu não sei escolher, excluir, deletar. São as pessoas que resolvem me deixar, melhor assim, adoro não ser responsável por absolutamente nada, odeio o peso que uma despedida eterna causa em mim. Nada é eterno, não quero brincar de Deus."


"Dói mesmo, eu me apaixono mesmo, sou intensa mesmo, eu me ferro mesmo, às vezes eu ferro as pessoas mesmo. Tudo é bom, tudo é vazio, tudo é bom de novo. Viver é um absurdo e não dá pra passar por isso tão ileso."


"E eu, finalmente, deixei de ter pena de mim por estar sem você e passei a ter pena de você por estar sem mim. Coitado."


Tati Bernardi

segunda-feira, 12 de julho de 2010

"Preciso tomar ar, fingir que sou normal & tenho um profundo interesse pelas pessoas e acontecimentos culturais e todas essas estonteantes possibilidades urbanas".

Caio Fernando Abreu

domingo, 11 de julho de 2010

"Eu escrevo como se fosse para salvar a vida de alguém. Provavelmente a minha própria vida."


Clarice Lispector

sábado, 10 de julho de 2010

Quilombelas

são elas as guerreiras mais belas
as que como zumbi
zombaram dos racistas
não tombaram nas brigas
nas guerras pelas terras
lidas aguerridas da vida

sim, são elas, as guerreiras mais belas
combativas altivas
querem direito a escolha e a escolas

sim, irmão, são elas as guerreiras mais belas
as que de forma sumária
cobram demarcação de áreas
as que a dizer têm mais
entoam cantigas ancestrais

sim, são elas as guerreiras mais belas
negras mulheres caras
combatentes raras
as mulheres quilombolas
que não esmorecem
negras são elas
as quilombelas

(enviado a mim por Nayane)

sexta-feira, 9 de julho de 2010

"Desassossegados amam com atropelo, cultivam fantasias irreais de amores sublimes, fartos e eternos, são sabidamente apressados, cheios de ânsias e desejos, amam muito mais do que necessitam e recebem menos amor do que planejavam.Desassossegados pensam acordados e dormindo, pensam falando e escutando, pensam antes de concordar e, quando discordam, pensam que pensam melhor, e pensam com clareza uns dias e com a mente turva em outros, e pensam tanto que pensam que descansam."


Martha Medeiros

quinta-feira, 8 de julho de 2010

”E, de qualquer forma, às cegas, às tontas, tenho feito o que acredito, do jeito talvez torto que sei fazer”


Caio Fernando Abreu

quarta-feira, 7 de julho de 2010

"O olho vê, a lembrança revê, a imaginação transvê. É preciso transver o mundo."


Manoel de Barros

terça-feira, 6 de julho de 2010

Terapia do joelhaço

"Tá, e agora, o que eu faço com essa batata quente nas mãos, com essa revelação perturbadora?

Passo adiante, ora. Extra, extra, só existe o seu desejo. É o desejo que manda. Esse troço que você tem aí dentro da cachola, essa massa cinzenta, parecendo um quebra-cabeças, ela só lhe distrai daquilo que realmente interessa: o seu desejo. O rei, o soberano, o infalível, é ele, o desejo. Você pode silenciá-lo à força, pode até matá-lo, caso não tenha forças para enfrentá-lo, mas vai sobrar o quê de você? Vai restar sua carcaça, seu zumbi, seu avatar caminhando pelas ruas desertas de uma cidade qualquer. Você tem coragem de desprezar a essência do que faz você existir de fato?


É tão simples que nem seria preciso terapia. Ou nem seria preciso mais do que meia-dúzia de consultas. Mas quem disse que, sendo complicados como somos, o simples nos contenta? Por essas e outras, estamos todos enlouquecendo".

Martha Medeiros

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Entre tapas e beijos

"O que podemos lhe assegurar é que os seres humanos nem sempre realizam todas as suas fantasias sexuais. O que é frustrante, mas tem uma vantagem: nos mantermos sempre atentos e desejantes na esperança de conseguir".


Alberto Goldin

domingo, 4 de julho de 2010

Sempre foi assim, desde pequena

"Desejava uma boneca e quando ganhava ficava contente por um tempo, logo desejava outra coisa. (...) O desejo satisfeito não lhe trazia sossego, sentia sempre estar faltando alguma coisa".

Sylvia Loeb

sábado, 3 de julho de 2010

sexta-feira, 2 de julho de 2010

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Luísa - Quase uma história de amor

"Fico tentado a lhe dizer muitas coisas, todas elas inúteis, começando por lhe recomendar um analista. Ela se antecipa.
- Espero que você tenha o bom gosto de não me sugerir uma terapia.
- E eu espero que você tenha o bom gosto de não se suicidar.
Luísa ri. Ela só comete suicídio em pequenas doses cotidianas.
- Em algumas fases mais, outras menos. Comecei a me matar aos 17 anos e não parei até hoje".


Maria Adelaide Amaral

quarta-feira, 30 de junho de 2010

Luísa - Quase uma história de amor

"Digo que nos refazemos rápido das derrotas. É uma longa prática e, afinal, devemos fazer o jogo da Pollyanna e repetir como todo mundo: "Foi uma lição".


Maria Adelaide Amaral

terça-feira, 29 de junho de 2010

"Amigos não "são para essas coisas", não. Isso é um clichê detestável, significando quase sempre que amigo é saco de pancadas, é uma espécie de privada onde o outro pode jogar dejetos, detritos imundos e dar descarga. Amigos são para dividir o bem e o mal, mas também para deixarem as coisas sempre limpas entre eles - amigos devem ser solidários".


Caio Fernando Abreu

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Pára-Quedas & Beijos

"Não tinha certeza se o que estava ouvindo era honesto ou vigarice. Sua maldição era deixar-se levar por qualquer um que soubesse construir uma frase, ainda que florida e meio pedante - e aí não sabia direito se era maldição ou benção ser tão vulnerável".


Erica Jong

domingo, 27 de junho de 2010

Medo de voar

"Sempre atribuí enorme valor às palavras, e com frequência cometi o erro de acreditar nas palavras muito mais do que nos atos. Meu coração(...)podem ser apanhados por uma frase brilhante, uma boa expressão, uma parelha de versos, um símile sensacional".


Erica Jong

sábado, 26 de junho de 2010

"Detesto coisas dignas, impecáveis, engomadas, lavadas com anil: aceito nos outros, levando em conta, inclusive, o tempo em que foram feitas".


Caio Fernando Abreu

sexta-feira, 25 de junho de 2010

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Crônica da casa assassina

"Havíamos atingido o ponto justo, e aquilo que existia dentro de mim, sem nome ainda, mas flutuando esparso como uma nuvem aos pedaços, concentrou-se de repente, adquiriu forma, nome, e eu estremeci, sem ousar encarar de frente aquela suspeita que se confirmava".


"Perdoe-me: não ferimos aqueles que nos são indiferentes, mas exatamentes os que, por um motivo ou outro, sacodem as fibras mais íntimas do nosso coração".



Lúcio Cardoso

quarta-feira, 23 de junho de 2010

terça-feira, 22 de junho de 2010

“Não era amor, era de tarde.
Não era amor, era sem medo.
Não era amor, era melhor...
Se não era amor, era da mesma família”


Martha Medeiros

segunda-feira, 21 de junho de 2010

"Não se aprende a amar, Camila; não há vontade democrática capaz de espalhar a paixão pelas bolsas de pobreza onde ela não chega, nem fábricas capazes de a produzir em peças, para montagem, construção ou exportação. Não há nada de justo neste sentido: a justiça, aliás, não passa de um espectáculo de ordenação do mundo, um circo que inventávamos para substituir a irracional lei do coração".


Inês Pedrosa

domingo, 20 de junho de 2010

Nas tuas mãos

"Nunca me confrontei com as desilusões porque sou um ser solitário. Afasto-me das pessoas e observo-as de longe; nunca consigo vê-las de muito perto, sem enquadramento. Enfrentando a imperfeição aprendi a perdoar. Olho a raiz das acções, e concluo que também eu a podia ter cometido A pior delas".


Inês Pedrosa

sábado, 19 de junho de 2010

Nas tuas mãos

"Costumavas dizer que ser amigo de alguém é ter a coragem de conhecer o melhor e o pior dessa pessoa, e guardar esse pior, por mais peso que tenha, no silêncio do nosso coração. Na realidade, nunca ouvi uma definição de amizade mais precisa e poética".


Inês Pedrosa

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Nas tuas mãos

"Habituamo-nos a tratar os amores como electrodomésticos: quando se escangalham, vamos ao supermecado comprar um novo, igualzinho ao que o outro era. Consertar? Não compensa: o arranjo sai caro, além de que nunca se sabe muito bem onde procurar a peça que falta. Substituímos a eternidade pela repetição, e o mundo começou a tornar-se monótono como uma lição de solfejo. Tememos a maior das vertigens, que é a da duração. Mas no fim de cada sucesso há um cemitério como o de Romeu e Julieta, apenas com a diferença da aura, que é afinal tudo. As pessoas morrem cada vez mais velhas e cansadas de correr, e os seus cadáveres tensos soçobram de ridículo sob a terra das suas efémeras conquistas".


Inês Pedrosa

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Medo de voar

"Sobreviver significa renascer repetidas vezes. Não era fácil, e sempre se mostrava doloroso, mas não restava qualquer escolha, com exceção da morte".


Erica Jong

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Medo de voar

"Mas isso passaria, com o tempo. Sempre passava, infelizmente. O machucado no coração que, no começo, parece tão sensível ao toque, com o tempo se transforma em todas as tonalidades do arco-íris e pára de doer. Chegamos a esquecer que temos coração, até que apareça a vez seguinte. E é quando tudo acontece de novo e nos espantamos em verificar como foi possível esquecer. Pensamos: "Este é mais forte, este é melhor...", porque na verdade, não conseguimos lembrar bem da vez anterior".


Erica Jong

terça-feira, 15 de junho de 2010

"Parece-me ser assim. Não é uma coisa terrível - quer dizer, pode ser terrível, mas não é daninha, não é de envenenar, depararmo-nos sem alguma coisa que realmente queremos... O terrível é fingir que o de segunda é de primeira. Fingir que não precisamos do amor, quando precisamos; ou que gostamos do trabalho, quando sabemos muito bem que somos capazes de coisa melhor".


Doris Lessing

segunda-feira, 14 de junho de 2010

O amor e outros objetos pontiagudos

"Será que, como eu, ela achava que a felicidade é um negócio que inventaram para enganar os pobres, os feios e os esperançosos?".


Marçal Aquino

sábado, 12 de junho de 2010

"A Psicanálise oferece ao sujeito um tratamento pela via do desejo que possibilita o sujeito ir da dor de existir à alegria de viver. Mas para isso o sujeito precisa querer saber, tendo a coragem de se confrontar com a dor que morde a vida e sopra a ferida da existência, para fazer da falta que dói, a falta constitutiva do desejo".


Antonio Quinet

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Fazes-me falta

"Não importa o que se ama. Importa a matéria desse amor. As palavras são só um princípio... Porque no amor os princípios, os meios e os fins são apenas fragmentos de uma história que continua para lá dela, antes e depois do sangue breve de uma vida. Tudo serve a essa obsessão de verdade a que chamamos amor".


Inês Pedrosa

quinta-feira, 10 de junho de 2010

"Os tecidos devem escolher-se pelo toque. E pelo cheiro, digo eu. Como a pele. Nada demora tanto a esquecer como a pele".


Inês Pedrosa

quarta-feira, 9 de junho de 2010

"Usar o outro como meio de satisfação e segurança não é amor. O amor jamais é segurança; o amor é um estado em que não existe desejo de estar seguro; é um estado de vulnerabilidade".


J. Krishnamurti

terça-feira, 8 de junho de 2010

"O que seria uma verdadeira história de amor? Quem sabe uma história onde os fatos reais de alguma forma pudessem ser mais intensos, profundos e apaixonantes do que tudo aquilo que acontece na imaginação, paralelamente à realidade?"


Caio Fernando Abreu

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Sou dos que vão, ficam um pouco mais e naturalmente dizem sim.
E desatinam.

Talitha Lessa

Medo de voar

"No entanto, havia gente no mundo, muita gente, que fazia o que lhe agradava e não ficava com uma só gota de culpa - desde que não fossem pegos. Por que eu fora amaldiçoada com um superego tão hiperatrofiado?"


Erica Jong

domingo, 6 de junho de 2010

Medo de voar

"Embora meus amigos me invejassem, porque sempre parecia estar animada e confiante, em segredo encontrava-me apavorada em relação a quase tudo".


Erica Jong

sábado, 5 de junho de 2010

Medo de voar

"Nada existe de mais feroz do que um artista fracassado. A energia permanece nele, mas, sem ter saída, implode (...) raiva que enfumaça todas as janelas internas da alma".


Erica Jong

sexta-feira, 4 de junho de 2010

“(...)às vezes quando nos chega a sabedoria, já não serve mais para nada".


Gabriel García Márquez

quinta-feira, 3 de junho de 2010

"Sás que desisti do amor? Que alívio. É um processo que vem se arrastando há uns quatro anos, desde o que chamo de The Big Disaster, agora parece que con-so-li-dou-se. Será que é da idade? Fico ouvindo as pessoas naquele rodenir de ligou?-vou-ligar-não-sei-se-ligo-se-ligar-diz-que-saí etc.&etc. e acho de uma pobreza alagoana".


Caio Fernando Abreu
"Aproveite agora que você é jovem para sofrer o mais que puder – lhe dizia – que estas coisas não duram toda a vida".


Gabriel García Márquez

quarta-feira, 2 de junho de 2010

terça-feira, 1 de junho de 2010

Salve sua vida

"Na verdade, não sei para que serve o sofrimento. O problema não é quanto sofrimento você sente, mas sim quanta alegria. Qualquer idiota pode sofrer. A vida está cheia de desculpas para se sentir sofrimento, desculpas para não viver, desculpas, desculpas, desculpas".

Erica Jong

segunda-feira, 31 de maio de 2010

Salve sua vida

"Ele conseguia ser honesto num mundo em que ninguém era, onde a própria honestidade estava fora de moda".

Erica Jong

domingo, 30 de maio de 2010

"Descrito por alguns escritores, o ato sexual é uma fraude. A metáfora os põe a perder. Como levar a sério os "mastros", as "espadas", "os vales úmidos" e as florestas de que lançam mão para referir-se à genitália? E quando resolvem se valer de frutas para descrever seios, na tentativa de obter um efeito poético? Seios não são pêras nem morangos. Seios são seios. Ou peitos. Ou mesmo tetas, como queria o velho Miller".

Marçal Aquino

sábado, 29 de maio de 2010

"Tenho consciência de que em nenhum dos meus livros se pode dizer que os personagens "fazem amor". Afinal, pessoas infelizes fazem sexo por inúmeras razões - hábito, tédio, rancor, piedade. Menos por amor".

Marçal Aquino

quinta-feira, 27 de maio de 2010

"Paixão é uma infinidade de ilusões que serve de analgésico para a alma. As paixões são como ventanias que enfurnam as velas dos navios, fazendo-os navegar; outras vezes podem fazê-los naufragar, mas se não fossem elas, não haveriam viagens nem aventuras nem novas descobertas."

Voltaire

quarta-feira, 26 de maio de 2010

"A propriedade privada tornou-nos tão estúpidos e limitados que um objeto só é nosso quando o possuímos."

Karl Marx

terça-feira, 25 de maio de 2010

Fazes-me falta

"Uma ocasião, disse-me:
- Eu sei que, lá bem no fundo, tu precisas muito do meu amor...
Eu respondi-lhe com os confortáveis esteriótipos do teu discurso - e ainda nem te conhecia:
- Os homens-que-lá-bem-no-fundo são um truque de ilusionismo que as mulheres inventaram para poderem continuar a ser vítimas sem ofender as conquistas da sociedade contemporânea".

(Fazes-me falta, Inês Pedrosa)

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Os Normais

TÍPICO RUI

Os produtos ficam podres na data de validade ou no dia seguinte? Se o produto não fica podre na data que era pra ficar, você pode reclamar no procon?

*

TÍPICO VANI

Se em nariz não nasce ruga, por que a cara toda não é de pele de nariz? Se arrancar fio de cabelo branco faz nascer mais, cuidar dele com todo carinho faz nascer menos?


(Os Normais - Fernando Young e Alexandre Machado)

domingo, 23 de maio de 2010

Os Normais

VANI APONTANDO PRO SEU GUARDA-ROUPA COMO UMA TELEMOÇA.

Trinta e um anos de compras. E não tem uma peça que eu goste. Se eu falo isso pra alguém, vão pensar que eu sou maluca.

sábado, 22 de maio de 2010

Os Normais

TÍPICO VANI

Tirem as crianças da sala. Daqui a pouco eu vou sair do banheiro com cara de magoada e nós vamos ter o famoso "sexo de fazer as pazes". É maravilhoso, você transa como se estivesse estrangulando a pessoa.


(Os Normais - Fernanda Young e Alexandre Machado)

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Os Normais

VANI E AMIGA DIVIDINDO O LAVABO

- Você vai dar?
- Acho que vou. E você?
- Tô na maior dúvida.
- Se você der eu dou.
- Querer dar eu quero.
- Então dá, boba.
- Vou acabar dando.
- Eu daria.
- Eu não topo certas coisas.
- Nem eu. Tem umas que "até talvez", outras "sem chance".
- Engraçado, eu tenho mais problemas com as "até talvez" que com as "sem chance".


(Os Normais - Fernanda Young e Alexandre Machado)

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Os Normais

VANI E RUI NORMALMENTE SE PREPARANDO PARA DORMIR

- Vani se eu fosse maluco, você ia continuar me amando?
- Como assim, Rui? Não entendi.
- Ué, se eu fosse maluco você ia me largar ou ia continuar comigo?
- Não, essa parte eu entendi. Eu não entendi foi o "se eu fosse maluco".
- Você tá dizendo que eu sou maluco?
- Estraguei a surpresa? Desculpa, eu pensei que você soubesse.
- Por que eu sou maluco? Me diz?
- Sei lá. Algum problema na infância.
- Ahhhhhhfffffff...
- Depois diz que não é maluco...
- Não entendi. Toda noite, quando você senta na cama você faz "Ahhhhhhfffffff".
-`É um hábito. Ter hábitos é sinal de maturidade emocional.
- Sentar na cama e fazer Ahhhhhhhfffffff"? Sinal de maturidade emocional?
- É uma epressão de alívio, após mais um dia que passou, que com a repetição se torna em aconchego pessoal da alma.

Vani senta na cama e massageia os dedos do próprio pé.

- Hum. E você acha isso normal.
- Melhor que tirar chulé do pé, é.
- Passar os dedos da mão entre os dedos do pé é uma técnica de relaxamento. Chama-se "do-in". - Tirar chulé agora chama "do-in"?
- Rui, diz que eu sou maluca, mas não diz que eu tenho chulé.
- Tem razão. Uma maluca com chulé realmente é muito grave.
- É, ela pode pegar os dedos cheios de chulé e esfregar na tua boca.

Vani esfrega as mãos na cara dele.

(Os Normais - Fernanda Young e Alexandre Machado)

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Os Normais

RUI TOMANDO BANHO

Eu sou um cara normal, igual a todo mundo. Primeiro eu passo sabonete no peito, depois na barriga, aí sovaco e braço, depois bunda, aí na região do pinto, depois eu desço pela perna direita até os pés e subo pela esquerda até a bunda e dou mais uma ensaboada, aí uma última passadinha no pinto, e pronto. Normal.

*

VANI DEITADA OLHANDO PRO TETO

Sou uma mulher normal: passo metado do meu dia pensando merda. Agora, por exemplo, eu tô pensando se eu devia ter dito uma coisa qye eu disse, ou se era melhor não ter dito, ou dito de outra maneira, deizendo sem precisar dizer.


(Os Normais - Fernanda Young e Alexandre Machado)

terça-feira, 18 de maio de 2010

Desapego

Em um dia aparentemente corriqueiro, Dave Bruno sentiu-se sufocado com a quantidade absurda de coisas que viu ao seu redor.

O americano se deu conta de que andava invertendo valores: amava as coisas e usava as pessoas.

Para lutar contra o consumismo, propôs a si mesmo um desafio batizado de The 100 Thing Challenge (O Desafio das 100 Coisas): até 12 de novembro, deve concluir uma lista com os 100 objetos pessoais que considera indispensáveis.

A partir daí, passará um ano vivendo com esse número de pertences.

Claro que há algumas regras: tudo que é compartilhado em família não foi incluído na conta, assim como artigos de grande valor afetivo, teoricamente dignos de serem levados por uma vida inteira pela sensação nostálgica que oferecem, como a Bíblia usada pelo avô durante a guerra.

Em seu blog, sucesso na web, o empresário mantém um registro sobre o passo-a-passo do desapego: aos poucos, a lista do que irá permanecer diminui, enquanto cresce o que será vendido, doado ou jogado fora.

Como todos nós, abrir mão de bens materiais é encarado como um sacrifício que Bruno vivencia a duras penas.

E esta é a parte mais desafiadora de sua proposta: reavaliar seus conceitos sobre conforto e necessidade.

Desde então, economizou tempo, dinheiro e energia, dando importância ao que realmente vale a pena.

Através de um esforço realista e voluntário, tem mostrado que podemos, sim, simplificar desordem, padrões, desejos e excessos sem que isso resulte em infelicidade.

(Texto da revista VIDA SIMPLES - EDITORA ABRIL)

segunda-feira, 17 de maio de 2010

"Seu ímpeto. Seus ataques de cólera diante do que os outros deixavam passar por simples pecadilhos. Sua resistência quando a vida fere. Principalmente, não parar nunca".


Lilia Mahjoub

domingo, 16 de maio de 2010

"Ela era mais do que linda. Era viva. Sarcástica. Tensa. Meio confusa. E rainha".


Caio Fernando Abreu

sábado, 15 de maio de 2010

"Para começo de conversa, ninguém é incrível, e a convivência é uma arte".


Kika Salvi

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Fazes-me falta

"Passava horas feliz só de olhar para eles, pensando se uma sintonia daquelas me estaria alguma vez reservada. Sabia que era pouco provável; a gente sabe quando tem o vício do desajustamento, a gente sabe isso, mesmo aos vinte anos".

(Fazes-me falta, Inês Pedrosa)

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Linchamento étnico e ideologia de dominação

(...)Na Améria do Sul, da mesma forma que na África do Sul ou na América do Norte, o ato sexual entre branco dominador e negra conquistada contitui traço fundamental do racismo: um instrumento de dominação por si mesmo. Sua origem social está no estupro violento da mulher africana pelo senhor escravista, e a sistemática prostituição da primeira para o lucro do segundo. Mais profundamente encontra-se na tendência bélica, universal entre as sociedades patriarcais, de estuprar as mulheres de povos derrotados, como elemento rotineiro da pilhagem consequente à conquista.

(...)Também se evidencia na crescente taxa generalizada de estupros e de agressão sexual depois da deflagração do chamado movimento feminista, refletindo a tentativa de reafirmação masculina de domínio político, desafiado por tal movimento.

Vale dizer que a política do estupro tem um aspecto complementar no sentido da dominação racial: o homem negro é a vítima fácil de falsas acusações (com a consequente prisão e/ou tortura) de violações à muler branca.
O estupro, expressão e afirmação de relações de poder entre senhor e escravo, não constitui fenômeno exclusivamente latino: foi uma realidade sistêmica também nos tempos coloniais dos Estados Unidos. Maulana Ron Karenga observa que

o estupro não era simplismente um ato sexual e pessoal contra a mulher negra, mas um contínuo terrorismo para dar lições concretas, para demonstrar a vulnerabilidade da mulher negra, a impotência do homem negro, e assim, a vulnerabiliade e a impotência da comunidade negra como um todo.

A sociedade patriarcal brasileira, e seus expoentes acadêmicos, da mesma forma que os do mundo hispano-americano, no entanto conseguiram edificar uma mistificação do estupro, infelizmente eficaz, que o apresenta como símbolo de relações raciais harmoniosas. Pierre Verger, por exemplo, nos informa loquazmente que os meninos brancos filhos do senhor,

experimentavam sua iniciação sexual com as garotas de cor tralhando na casa grande ou nos canaviais, assim infundindo elementos de atração sexual e compreensão com o que se escolheu chamar de pessoas e raças diferentes.

Se Verger "escolheu" chamar as mulheres africanas de "pessoas de outra raça", elas não tiveram a oportunidade de se manifestar nesse sentido quando foram arrancadas da sua terra natal, trazidas à força para terras alheias, e vitimadas pela agressão sexual do opressor, tudo isso sob a justificação de que pertenciam a uma "raça inferior". Com essa declaração, Verger exemplifica a idéia do estupro como sintoma de uma relação saudável e feliz entre os seres humanos. Esse conceito se baseia, evidentemente, no preceito básico das sociedades patriarcais, de que "as mulheres gostam da coisa, de qualquer maneira que venha", racionalização milenar da violência sexual como instrumento e sintoma de dominação.(...)
Outro símbolo da chamada democracia racial latino-americana é a mulata, aparentemente concebida como objeto de um desejo ou um prazer cultivado exclusivamente pelo branco latino. Contudo, a verdade é outra: a mulata constituiu e contitui "um objeto sexual preferido também nos Estados Unidos, famosa pela sua beleza e ardor". A mulata clara, denominada em inglês a "high-yaller woman" (moça alta-amarela), "tem sido sempre valorizada como amante entre os homens brancos."(...)Nas palavras de Lélia González:

Já o termo "mulata" implica na forma mais sofisticada de reitificação: ela é denominada "produto de exportação", ou seja, objeto a ser consumido pelos turistas e pelos nacionais burgueses. Temos aqui a enganosa oferta de um pseudomercado de trabalho que funciona como um funil e que, em última instância, determina um alto grau de alienação.

A hierarquia social da pigmentação tampouco constitui fenômeno exclusivamente latino.(...)a estética da brancura opera para criar uma estratificação de prestígio baseado nos matizes da epiderme(...)

(...)Etnicamente falando, o supremacismo branco tem sido sempre a causa de cisões no mundo negro, lançando o negro de cabelo liso contra o negro de cabelo encaracolado; colocando o negro de nariz afilado contra o negro de nariz chato; opondo o negro de origem africana ao de origem asiática; e finalmente, indispondo o negro das Américas contra o da África e da Ásia. Não há limite às divisões patrocinadas pelo supremacismo branco no mundo negro.


"Pan-africanismo na América do Sul Emergência de uma rebelião negra"
páginas 121, 122, 123, 124, 125
(Elisa Larkin Nascimento)

terça-feira, 11 de maio de 2010

"(...)tenho uma parte que acredita em finais felizes. Em beijo antes dos créditos, enquanto outra acha que só se ama errado. Tenho uma metade que mente, trai, engana. Outra que só conhece a verdade. Uma parte que precisa de calor, carinho, pés com pés. Outra que sobrevive sozinha. Metade autossuficiente."


Caio F.

segunda-feira, 10 de maio de 2010

"Mas nem sempre é necessário tornar-se forte. Temos que respeitar a nossa fraqueza. Então, são lágrimas suaves, de uma tristeza legítima à qual temos direito. Elas correm devagar e quando passam pelos lábios sente-se aquele gosto salgado, límpido, produto de nossa dor mais profunda."


Clarice Lispector

domingo, 9 de maio de 2010

“De novo, de novo, eu não canso. De novo fazendo romance em cima de um conto breve”.


Tati Bernardi

sábado, 8 de maio de 2010

"[...] Sempre tive a sensação de mal-estar no mundo, uma sensação de não caber no meu espaço, um desconforto diante de meus pares – eu me pergunto: tenho pares? Eu sabia que em mim há uma mulher que tento esconder ferozmente. Tenho medo que as pessoas identifiquem meus excessos, essa quantidade absurda de pernas e braços que camuflo sob a roupa que visto. O que diriam se soubessem das muitas que vivem em mim e tentam bravamente, numa luta corporal, projetar-se do meu corpo? Tomariam-me por uma aberração?[...]"


Clarice Lispector

sexta-feira, 7 de maio de 2010

quinta-feira, 6 de maio de 2010

"Ela era mais do que linda. Era viva. Sarcástica. Tensa. Meio confusa. E rainha."


Caio F.

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Somos brasileiros?

A aparente legalidade dos atos do colonizador legitimada pela chamada cultura brasileira, não mostra a real participação negra na construção da identidade nacional, mas sim a apropriação branca dos seus valores culturais e sua destruição, tornando-a imperceptível aos olhos dos próprios negros, afim da inserção dessa população preta não por serem o que são, mas sim por um novo método complexo de escravidão e dominação. Somos a população, mas não a nação. Somos a população, mas não cidadãos. Pra estarmos na marginalidade nos basta nascer.


(http://mulheresdoreneg.blogspot.com/2009/11/somos-brasileiros.html)

terça-feira, 4 de maio de 2010

"Não podemos aguardar que os tempos se modifiquem e nós nos modifiquemos junto, por uma revolução que chegue e nos leve em sua marcha. Nós mesmos somos o futuro. Nós somos a revolução."


Beatrice Bruteau

segunda-feira, 3 de maio de 2010

"É preciso sonhar, mas com a condição de crer em nosso sonho, de observar com atenção a vida real, de confrontar a observação com nosso sonho, de realizar escrupulosamente nossas fantasias. Sonhos, acredite neles."

Vladimir Ilitch Lenin

domingo, 2 de maio de 2010

O pequeno príncipe

"- Teria sido melhor voltares à mesma hora, disse a raposa. Se tu vens, por exemplo, às quatro da tarde, desde às três eu começarei a ser feliz. Quanto mais a hora for chegando, mais eu me sentirei feliz. Às quatro horas, então, estarei inquieta e agitada: descobrirei o preço da felicidade! Mas se tu vens a qualquer momento, nunca saberei a hora de preparar o coração..."


(Trecho extraído do livro "O Pequeno Príncipe)

sábado, 1 de maio de 2010

"O impulso de vida e o impulso de morte habitam lado a lado dentro de nós. A morte é a companheira do amor. Juntos eles regem o mundo."

Sigmund Freud

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Certas palavras não podem ser ditas
em qualquer lugar e hora qualquer.
Estritamente reservadas
para companheiros de confiança,
devem ser sacralmente pronunciadas
em tom muito especial
lá onde a polícia dos adultos
não adivinha nem alcança.

Entretanto são palavras simples:
definem partes do corpo, movimentos,
actos do viver que só os grandes se permitem
e a nós é defendido por sentença dos séculos.
E tudo é proibido.
Então, falamos.


Carlos Drummond de Andrade

quinta-feira, 29 de abril de 2010

O Chão é a cama para o amor urgente,
O amor não espera ir para a cama.
Sobre o tapete no duro piso,
a gente compõe de corpo a corpo a última trama.
E para repousar do amor, vamos para a cama!


Carlos Drumond de Andrade

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Homo

"Trata-se de um ser de uma afetividade imensa e instável, que sorri, ri, chora, um ser ansioso e angustiado, um ser gozador, embriagado, estático, violento, furioso, amante, um ser invadido pelo imaginário, um ser que conhece a morte e não pode acreditar nela, um ser que segrega o mito e a magia, um ser possuido pelos espíritos e pelos deuses, um ser que se alimenta de ilusões e quimeras, um ser subjetivo cujas relações com o mundo objetivo são sempre incertas, um ser submetido ao erro, ao devaneio, um ser híbrido que produz a desordem. E como chamamos loucura à conjunção da ilusão, do descometimento, da instabilidade, da incerteza entre real e imaginário, da confusão entre subjetivo e objetivo, do erro, da desordem, somos obrigados a ver o Homo sapiens como Homo demens."


Edgard Morin

terça-feira, 27 de abril de 2010

Salve sua vida

"Mas ela não tinha nenhum talento para a felicidade. Poder-se-ia dizer que tinha um talento para ser infeliz, mas eu preferiria pensar no sofrimento como uma ausência de alegria mais que uma condição cultivada deliberadamente. Contudo, isto é um ponto discutível."

(Salve sua Vida, Erica Jong)

segunda-feira, 26 de abril de 2010

"Queria consultar búzios, runas, pai, mãe de santo ou não, qualquer coisa que me APONTASSE O RUMO, caralho."

Caio Fernando Abreu

sábado, 24 de abril de 2010

Dependendo de como se olha, é quase um consenso que a maturidade seja vista como uma espécie de benção, um estágio da vida que capacita alguns a saberem como tomar decisões levando-se em conta uma serie de detalhes práticos envolvendo o bem-estar de outros. Maturidade também pode ser a habilidade de avaliar o possível impacto que algo teria sonbre uma situação depois de aplicado. Alguns consideram isso o resultado de uma percepção social ajustada, adquirida com o conjunto de valores transmitidos pelo meio onde a pessoa foi criada ou de um modo mais radical, através do aprendizado em correção, depois de uma série de ações equivocadas cometidas durante um processo de amadurecimento. Com isso, imaginamos logo que o individuo maduro estaria apto de um modo geral, a realizar para si escolhas melhores, como saber poupar outros de possíveis ações danosas ou evitar colocar alguém em situação de constrangimento ou até mesmo de risco. Certo? Nada mais enganoso! Para ver o maduro cair de seu ponto de equilíbrio, basta que ele tropece num desatino, numa descontrolada paixão indevida bem tocaiada a enrosca-lhe perna acima, derrubando-o de sua própria altura dentro do perigo mais profundo, do arriscado mais inconsequente, do insano mais lisérgico, e muitas vezes, dentro do inevitável ridículo, como aconteceria com qualquer principiante que se lambuza nas tolices duma infância tardia, que como tal, se nega a devolver corpo e mente do apaixonado em transe, ao lugar de onde deveria ser visto publicamente como sensato.
*Postagem original no Blog: Letra em Pó (http://letraempo.blogspot.com/)

sexta-feira, 23 de abril de 2010

"Enquanto não superarmos
a ânsia do amor sem limites,
não podemos crescer
emocionalmente.

Enquanto não atravessarmos
a dor de nossa própria solidão,
continuaremos
a nos buscar em outras metades.
Para viver a dois, antes, é
necessário ser um."


Fernando Pessoa

quinta-feira, 22 de abril de 2010

"Se o horário oficial é o de Brasília, por que a gente tem que trabalhar na segunda e na sexta?"


Dorival Caymi

quarta-feira, 21 de abril de 2010

"Todo problema humano deve ser considerado a partir do tempo. Se pertenço irredutivelmente à minha época, é para ela que devo viver. Logo, o futuro deve ser uma construção contínua do homem que existe e esta construção/edificação é ligada ao presente, na medida em que o coloco como algo a ser superado."


Frantz Fanon

terça-feira, 20 de abril de 2010

Crime e Castigo

“Ora veja… é o que sempre acontece às pessoas românticas: enfeitam uma criatura, até o último momento, com penas de pavão, e não querem ver, nela, senão o que é bom, muito embora sentindo tudo ao contrário. Jamais querem, antecipadamente, dar às coisas o seu devido nome. Essa simples idéia lhes parece insuportável. A verdade, repelem-na com todas as forças até o momento em que aquela pessoa, engalamada por elas próprias, lhes mete um murro na cara."

Fiodor Dostoiévski

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Fazes-me falta

“A felicidade é uma coleção de instantes suspensos sobre o tempo que só depois de amarelados pela ausência se revelam."


(Fazes-me falta, Inês Pedrosa)

domingo, 18 de abril de 2010

Medo de voar

É preciso aturar muita merda das pessoas, para poder saborear os bons pedaços, também."


(Medo de Voar, Erica Jong)

sábado, 17 de abril de 2010

"(...)e portanto continuo a minha neurose (já não é neurose - 14 anos de análise. Virou, digamos, peculiaridade)..."


Caio Fernando Abreu

sexta-feira, 16 de abril de 2010

A instrução dos amantes

"Ela diz que quer esquecer, mas traz cada fragmento dele colado ao corpo como uma bóia de salvação. A memória mente ao tempo. Impartilhável, imortal, o cinema do segredo. Um filme encravado, ao arrepio dos dias, debaixo da pele."


"As frases começam-lhe eufóricas e terminam muitas vezes melancólicas. Como se a meio das explicações se desse conta da inutilidade das palavras repetidas, da impossibilidade de passar assim um qualquer testemunho. A sua maior vaidade é deixar de perceber. Cansou-se de ler as linhas ordenadas do mundo. Cada ser é uma constelação de duelos insolúveis, às vezes a espada lampeja e o olhar clareia. Há em cada poeta uma aventura singular que articula o tempo que a vida escolheu para ele e o lugar que ele escolhe para si na vida."


(A instrução dos amantes, Inês Pedrosa)

quinta-feira, 15 de abril de 2010

"Discutir a desigualdade racial não é a forma de “racializar” o país, mas sim constatar um problema, criado sobre um artificialismo, e que exige superação. Racializado ele já é, com esta vergonhosa ausência dos negros (pretos e pardos), de todos os círculos, do poder no Brasil."


Miriam Leitão

quarta-feira, 14 de abril de 2010

"O trabalhador olha as preços e sabe que não poderá adquirir quase nada do que está exposto no comércio, mas não lhe passa pela cabeça que foi ele, não enquanto indivíduo e sim como classe social, quem produziu tudo com seu trabalho e que não pode ter os produtos porque o preço deles é muito mais alto do que o preço dele, trabalhador, isto é, o seu salário."


Marilena Chauí

terça-feira, 13 de abril de 2010

“Nossas vidas começam a morrer no dia em que calamos coisas que são verdadeiramente importantes.”

Martin Luther King

segunda-feira, 12 de abril de 2010

O pan-africanismo


O pan-africanismo é a teoria e a prática da unidade essencial do undo africano. Não há nenhuma conotação racista nessa unidade. Ela se baseia, não em critérios superficiais de cor mas

Na comunidade dos fatos históricos, na comunidade da herança cultural e na identidade de destino em face do capitalismo, do imperialismo e do coronialismo. O emblema da cor é um elemento estático só quando superficialmente considerado; se vê muito mais profundamente como um fato histórico, visto da perpectiva da nossa história onde aconteceu uma ruptura trágica - a dos comerciantes de carne; a guarda-avançada do imperialismo.²

O pan-africanismo reivindica a unificação do continente africano, e a aliança concreta e progressista com uma diáspora unida. Nem toda a diáspora, incidentalmente, se formou durante o tráfico escravista mercantil. Populações asiáticas como a dravidiana (da Índia) e os aborígenes australianos são originalmente africanas, tendo emigrado do continente a milhares de anos. Na América, a evidência da presença africana pré-colombiana mostra que os negros chegram muitos séculos antes dos europeus, como navegadores, comerciantes e exploradores de antiguidade.² A emigração caribenha e africana à Europa nas últimas décadas criou uma nova diáspora negra.

Há uma tendência errônea de ver o pan-africanismo como uma palavra de ordem para a volta em massa dos povos da diáspora à África. Ainda que algumas das suas primeiras manifestações se tenham articulado dessa forma, hoje se compreende que o pan-africanismo significa a luta para a libertação dos povos africanos em todos os lugares onde se encontrarem, Marcus Garvey teve como lema político principal a frase "A África para os africanos, na própria pátria e no exterior". Isto claramente indica a preocupação com os africanos fora da do continente. O slogan da "volta à África" tinha um alvo simbólico espiritual. Garvey compreendeu também que uma África unida era necessária como base para a força política do mundo africano como um todo."


("Pan-africanismo na América do Sul - Emergência de uma rebelião negra"- Elisa Larkin Nascimento)

domingo, 11 de abril de 2010

O beijo da mulher aranha

- (...)E aí conheceu um rapaz da seção de política. Viu logo que precisava dele, que a relação com o outro estava esvaziada.
- Por que esvaziada?
- Tinham dado um ao outro tudo o que podiam. Eram muito agarrados, mas jovens demais para ficarem naquilo, ainda não sabiam direito... o que queriam, nenhum dos dois. E... Jane propôs ao rapaz uma abertura na relação. E o rapaz topou, e ela começou a se encontrar com o companheiro da revista também.


(O beijo da mulher aranha - Manuel Puig)

sábado, 10 de abril de 2010

Amores Freudianos

"A angústia desorganiza o corpo e produz as mesmas sensações que uma pessoa saudável teria ao enfrentar um perigo real."


"Não há maldade na paixão.Nem qualquer coisa parecida com bondade."


(Amores Freudianos, Alberto Goldin)

quinta-feira, 8 de abril de 2010

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Você quer o que deseja?

"A psicanálise, por meio do estudo dos sonhos, descobriu que a natureza do desejo humano está no mal-entendido, na topada, na alusão, no encontro fortuito. Nisso ela é divina - as linhas tortas dos sonhos escrevem corretamente".

Jorge Forbes

terça-feira, 6 de abril de 2010

''Se você sabe conviver com pessoas intempestivas, emotivas, vulneráveis, amáveis, que explodem na emoção: acolha-me."

Clarice Lispector

segunda-feira, 5 de abril de 2010

"Meu mundo se resume a palavras que me perfuram, a canções que me comovem, a paixões que já nem lembro, a perguntas sem respostas, a respostas que não me servem, à constante perseguição do que ainda não sei. Meu mundo se resume ao encontro do que é terra e fogo dentro de mim, onde não me enxergo, mas me sinto."

Martha Medeiros

domingo, 4 de abril de 2010

sábado, 3 de abril de 2010

“A força invencível que impulsionou o mundo não foram os amores felizes e sim os contrariados”.


Gabriel García Márquez

sexta-feira, 2 de abril de 2010

"Não me venha com meios-termos, com mais ou menos ou qualquer coisa. Venha a mim com corpo, alma, vísceras, tripas e falta de ar..."

Marla de Queiroz

quarta-feira, 31 de março de 2010

A instrução dos amantes

"- Mas tu não és nenhum monstro, minha parva! Teu problema é que ninguém acredita em ti porque tu também não acreditas. Para ser sincera, as tuas paixões já dão vontade de rir aos rapazes. Até a mim. Tu apaixonas-te pelo primeiro que aparece. Assim ninguém te leva a sério.- Se eu fosse bonita, só me tinha apaixonado por um rapaz. Juro-te. Ele apaixonava-se por mim e eu era-lhe fiel para sempre.- Não duvido. Só que isso também não queria dizer nada.

(A instrução dos amantes, Inês Pedrosa)

terça-feira, 30 de março de 2010

"(...) Você é muito lindo e eu tento te enviar a minha melhor vibração de axé. Mesmo que a gente se perca, não importa. Que tenha se transformado em passado antes de virar futuro. Mas que seja bom o que vier, para você, para mim".


Caio Fernando Abreu

segunda-feira, 29 de março de 2010

domingo, 28 de março de 2010

“Mas não vou ceder. Foi a última paixão. Paixão é o que dá sentido à vida. E foi a última. Tenho certeza absoluta disso. Agora me tornarei uma pessoa daquelas que se cuidam para não se envolver. Já tenho um passado, tenho tanta história. Meu coração está ardido de meias-solas. Sei um pouco das coisas? Acho que sim. Tive tanta taquicardia hoje. Estou por aí, agora. Penso nele, sim, penso nele. Mas não vou ceder. Certo, certo: ninguém tem obrigação de satisfazer ao teu desejo, pela simples razão de que você supõe que teu desejo seja absoluto. Foda-se seu desejo, ora. Me dói não ter podido mostrar minha face. Me dói ter passado tanto tempo atento a ele — quando ele nunca ficou atento a mim. E eu passei tanta coisa dura. Rita Lee canta “são coisas da vida…”.


Caio Fernando Abreu

sábado, 27 de março de 2010

"Farei o possível para não amar demais as pessoas, sobretudo, por causa das pessoas. Às vezes o amor que se dá pesa, quase como uma responsabilidade na pessoa que o recebe. Eu tenho essa tendência geral para exagerar, e resolvi tentar não exigir dos outros senão o mínimo. É uma forma de paz...Também é bom porque em geral se pode ajudar muito mais as pessoas quando não se está cega de amor".

Clarice Lispector

sexta-feira, 26 de março de 2010

"Imitou a voz melosa: Ôi-tudo-bem-e-aí-tô-ligando-pra-saber-se-você-vai-fazer-alguma-coisa-hoje-à-noite. Como se a gente tivesse obrigação de fazer alguma coisa toda noite. Só porque é sábado. Essa obsessão urbanóide de aliviar a neurose a qualquer preço nos fins de semana, pode? Tenho vontade de dizer nada, não vou fazer absolutamente nada. Só talvez, mais tarde, se estiver de saco muito cheio, tentar suicídio com uma-dose-excessiva-de-barbitúricos, uma navalha, ou um bom bujão de gás ou algo assim. Se você quiser me salvar, esteja a gosto, coração. God! Um dia acabo mesmo dizendo, porra."

Caio Fernando Abreu

quinta-feira, 25 de março de 2010

"É por isso, também, que mulheres histéricas sentem-se tão frequentemente atraídas por homens obsessivos: os obsessivos tentam de todas as formas parecerem cadáveres e as histéricas tentam de todas as formas fazer os cadáveres voltarem à vida. Uma histérica é alguém a quem as coisas estão sempre acontecendo, enquanto um obsessivo é uma coisa a quem as pessoas às vezes acontece (pessoa no sentido de vivo, de não estar morto). (...) Daí a freqüente admoestação histérica ao homem obsessivo, “deixe de ser tão chato” (ou numa festa, “Dance!”), que pode ser traduzida como “mostre-me que você não está morto”. Assim, embora suas uniões possam ser difíceis, histéricas e obsessivos são na verdade bastante adequados uns aos outros".



(Por que as mulheres escrevem mais cartas do que enviam, Darian Leader)

quarta-feira, 24 de março de 2010

terça-feira, 23 de março de 2010

Nas tuas mãos

"O mar acalmava Camila, criança nervosa, que só conhecia o êxtase ou o desespero. (...) Mudava o riso em lágrimas em menos de um segundo. Passei anos a temer que este excesso de nascença lhe rasgasse a vida em pedaços. E rasgou, mas, sobretudo, secou-a por dentro de uma forma que ainda hoje me parece inimaginável".


(Nas tuas mãos, Inês Pedrosa)

segunda-feira, 22 de março de 2010

"Porque já não temos mais idade para, dramaticamente, usarmos palavras grandiloqüentes como "sempre" ou "nunca". Ninguém sabe como, mas aos poucos fomos aprendendo sobre a continuidade da vida, das pessoas e das coisas. Já não tentamos o suicídio nem cometemos gestos tresloucados. Alguns, sim - nós, não. Contidamente, continuamos. E substituímos expressões fatais como "não resistirei" por outras mais mansas, como "sei que vai passar". Esse o nosso jeito de continuar, o mais eficiente e também o mais cômodo, porque não implica em decisões, apenas em paciência".


Caio Fernando Abreu

domingo, 21 de março de 2010

A eternidade e o desejo.

"Mas sabemos que essa ausência do querer não existe no universo humano. Sabemos que é porque queremos isto em vez daquilo, ou porque queremos tudo ao mesmo tempo, ou porque queremos o que nos faz mal. Sabemos a que ponto aquilo que queremos desmancha aquilo que pensamos que queremos. Sabemos, sim - mas o vulcão do querer é mais violento do que tudo o que sabemos ou pensamos. Eu não queria querer-te tanto(...)".


(A eternidade e o desejo, Inês Pedrosa)

sábado, 20 de março de 2010

A instrução dos amantes

"A saudade guarda o que ficou por repetir. Não se aprende nada com a experiência. Só o que dói é que se sabe. As histórias mais bonitas não são as que se contam. As coisas mudam, mas o coração fica. E tu dizias: tudo pode acontecer. Eu não queria que tudo pudesse acontecer. Tu eras minha".


(A instrução dos amantes, Inês Pedrosa)

sexta-feira, 19 de março de 2010

quinta-feira, 18 de março de 2010

Você quer o que deseja?

"As decisões sobre o desejo - diferentemente do que ocorre com a necessidade - não têm nada de "bom senso". Exigem a responsabilidade do sujeito e escapam ao controle universal, por ser particulares".


Jorge Forbes

domingo, 7 de março de 2010

Paixões

"A paixão nunca aprende: é sempre idêntica, eternamente jovem, intacta, irrefletida. "Mas como é possível que eu esteja, a esta altura, fazendo outra vez as mesmas bobagens?, costuma gemer nossa razão, espantada, quando esperamos durante horas uma ligação que não chega nunca. "É que eu não aprendo", se queixa o amante sofredor. E ele está certo, porque o amor permanece impermeável à experiência."


(Paixões - amores e desamores que mudaram a história, Rosa Montero)

sábado, 6 de março de 2010

"Eu sofro sendo assim, eu sofro porque, quando você acha mais da metade do mundo babaca, você passa muito tempo sozinha."

Tati Bernardi

sexta-feira, 5 de março de 2010

"A felicidade é simples, e quando você descobre isso ela deixa de ser uma espera e passa a ser um minuto, um segundo. E é de minutos e segundos que se faz a vida."

Tati Bernardi

quinta-feira, 4 de março de 2010

"Queria tanto que alguém me amasse por alguma coisa que eu escrevi."

Caio Fernando Abreu

quarta-feira, 3 de março de 2010

Final Feliz

"(...) O que faz surgir outra pergunta: certo até quando? Porque o certo de hoje pode se transformar no equívoco monumental de amanhã".

Leila Ferreira

terça-feira, 2 de março de 2010

A mulher que não prestava

"Não vai me dar bom dia? Não, seu idiota, não vou te dar nada, muito menos bom dia; desista, cresça... (...) Olho os e-mails, sempre a mesma merda: textos utópicos e babacas que acompanham imagens felizes e insuportáveis do image bank, correntes de oração pela paz que não existe e nunca existiu, ex-namorados com saudades (lê-se: vontade de dar uma sem grandes investimentos), amigas chatas reclamando que estão sozinhas depois que acabaram a faculdade (elas é que são chatas e a culpa é da faculdade que acabou) e nenhum, nenhum e-mail daquele filho-da-puta, o único e-mail que você queria receber, ele que se foda também."

(A mulher que não prestava, Tati Bernardi)

segunda-feira, 1 de março de 2010

“O que sei é que qualquer que seja ou for a verdade eu a buscarei por supor que vale a pena buscá-la.”

W.E.B. Du Bois

domingo, 28 de fevereiro de 2010

"Há sempre uma diferença entre querer e desejar. Querer corresponde a uma necessidade. Querer é algo que o indivíduo compreende. Eu quero tomar água, eu quero dormir, eu quero me proteger do frio. Enquanto desejar é aquilo que ninguém compreende, é algo muito particular, singular de cada um e jamais nós temos uma resposta que nos satisfaça completamente. Essa é a base da criação ou é a base do sofrimento. Na psicanálise o que acontece quando um desejo é realizado? São raros os momentos e nesse momento a pessoa tem uma sensação de uma quase morte. Os franceses chegam a chamar o orgasmo de uma pequena morte. A pessoa tem a sensação como se estivesse no olho de um furacão, uma sensação de perda de identidade, uma sensação de tontura, uma sensação de querer se agarrar no outro, e isso passa. O que é que vem depois? Pode vir uma depressão, de algo perdido, pode vir uma vontade de reinventar esse prazer tão rápido que é a realização de um desejo."

Jorge Forbes

sábado, 27 de fevereiro de 2010

Oyá

o que trança na cabeça
dessa beldade negra
fino traço é o retrato
de uma deusa ginga ginga
o corpo sem defeito
com direito
só pra mostrar quem é
herdeira dos deuses
da soberania africana
é filha de Iansã Balé
no barco só navega um
carente de um terreiro egum
foi namorada de Xangô
e se desentendeu com Oxum
agora é mulher fiel
é a mona do ocam
do ferro azulado do rei Ogum


autor desconhecido

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

"... afinal, há é que ter paciência, dar tempo ao tempo, já devíamos ter aprendido, e de uma vez para sempre, que o destino tem de fazer muitos rodeios para chegar a qualquer parte."


José Saramago

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

''Eu sei que sou exatamente o que 98% dos homens não gosta ou não sabe gostar. Eu falo o que penso, abro as portas da minha casa, da minha vida, da minha alma, dos meus medos. Basta eu ver um sinal de luz recíproca no final do túnel que mando minhas zilhões de luzes e cego todo o mundo. Sou demais. Ninguém entende nada. E eles adoram uma sonsa. Adoram. Mas dane-se. Um dia um louco, direto do planeta dos 2% de homens, vai aparecer''.


Tati Bernardi

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

"Olhe, tenho uma alma muito prolixa e uso poucas palavras. Sou irritável e firo facilmente. Também sou muito calmo e perdôo logo. Não esqueço nunca. Mas há poucas coisas de que eu me lembre."

"Exagerada toda a vida: minhas paixões são ardentes, minhas dores de cotovelo, de querer morrer; louca do tipo desvairada; briguenta de “tô de mal pra sempre”, durmo treze horas seguidas; meus amigos são semi-irmãos, meus amores são sempre eternos e meus dramas, mexicanos!"


Clarice Lispector

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

"Escrevo por uma espécie de incompatibilidade - de gênios com a vida, escrevo para reinventar, para organizar o caos, para não enlouquecer de impotência, para re-fazer. Mas não pense que não sei do inútil disso".


Caio Fernando Abreu

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

"(...) diria que me sinto como se tivesse dois corpos. Um é aquele onde moro, ou melhor, que transporto, como um molusco na sua concha, sem nunca ter sabido corretamente apreciar seu lugar no espaço... O outro é o corpo relacional, que me põe em contato mais ou menos estreito com os outros e que veicula uma imagem de mim, da qual afinal cada um dispõe ao seu modo".


Catherine Millet

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Amor? não sei.
É meio paranóico,
parece uma coisa para
nos enlouquecer devagar.


Caio Fernando Abreu

sábado, 20 de fevereiro de 2010

Fica comigo essa noite.

“Acreditamos naquilo que precisamos, não é? E acreditamos vinte, trinta, quarenta vezes, contra todas as evidências. Vemos o mal como uma nuvem temporariamente pousada sobre a testa de outro, não como uma parte da alma dele. Somos cândidos por desespero, agarramo-nos às paredes da infância com todas as forças.”

(Fica comigo esta noite, Inês Pedrosa)

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

"Não fiz o melhor, mas fiz tudo para que o melhor fosse feito. Não sou o que deveria ser, mas não sou o que era antes."


Martin Luther King

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Amar o perdido
deixa confundido
este coração.

Nada pode o ouvido
contra o sem sentido
apelo do Não.

As coisas tangíveis
tornam-se insensíveis
à palma da mão.

Mas as coisas findas
muito mais que lindas,
essas ficarão.

Carlos Drummond de Andrade

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

“Saber que não se escreve para o outro, saber que as coisas que vou escrever não me farão nunca amado por aquele que amo, saber que a escritura não compensa, não sublima nada, que ela está precisamente aí onde você não está - é o começo da escritura."


(Fragmentos de um Discurso Amoroso, Roland Barthes)

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Sibyl

"(...)E porque não devemos gozar das melhores coisas que a vida nos oferece?(...)A vida tem tanta dor que a gente precisava fazer uma catarze. Não quero com isso dizer que seja uma fuga. A gente não consegue fugir da realidade por meio dos livros. Pelo contrário, eles ajudam a perceber com mais amplitude o que a gente realmente é. Mon Dieu, graças à Deus que os tenho. Quando me acho numa situação que não gostaria de estar – devido às circunstâncias peculiares da minha vida -, então tenho essa saída.(...)pode me julgar très supéieure, mas na realidade eu não sou; sou exatamente aquilo que sou, e vivo a vida da maneira como quero.”


(Flora Rheta Schreiber, in: Subyl)

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Fazes-me falta

"Morri tantas vezes antes de morrer - morri sempre que o amor parava, e o amor estava sempre a parar dentro de mim. Parava e crescia, comia tudo o que eu sabia. Eu imaginava frases novas como barragens contra essas vagas que me levavam. Mas as barragens caíam, eu voltava morta à praia, renascia a tremer de frio, na noite marítima. Então construía de novo a minha barragem, agarrava-me aos meus mortos passados, presentes e futuros, envelhecia e renascia, engelhada e sôfrega. Falava. Falava incansavelmente do que sabia e do que desconhecia, esperava que me mandassem calar para ouvir apenas o vento das palavras definitivas dançando como um louco descabelado nesse opaco interior do meu corpo".


(Fazes-me falta, Inês Pedrosa)

domingo, 14 de fevereiro de 2010

Máscara Negra

Tanto riso, oh quanta alegria
Mais de mil palhaços no salão
Arlequim está chorando pelo amor da Colombina
No meio da multidão

Foi bom te ver outra vez
Tá fazendo um ano
Foi no carnaval que passou
Eu sou aquele pierrô
Que te abraçou
Que te beijou, meu amor
A mesma máscara negra
Que esconde o teu rosto
Eu quero matar a saudade
Vou beijar-te agora
Não me leve a mal
Hoje é carnaval


Zé Keti

sábado, 13 de fevereiro de 2010

"Quem você pensa que é?
Perguntou pra mim de queixo em pé...
Sou forte, fraca, generosa, egoísta, perigosa, infantil,astuta, aflita, serena, indecorosa, inconstante, persistente,sensata e corajosa, como é toda mulher.
Poderia ter respondido!
Mas não lhe dei esta colher."

Martha Medeiros

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

“Cometeria suicídio tranquilamente se eu mesmo pudesse depois limpar a casa, vestir o cadáver, atender as visitas, consolar os íntimos, ir ao enterro e voltar sozinho e conciliado, livre de mim e pronto para outra."

Jean-Paul Sartre

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Medo de Voar

"Quando olho em retrospectiva minha vida, que não tem trinta anos de duração, vejo todos os meus namorados sentados de modo alternado, de costas um para o outro, como se estivessem na brincadeira das cadeiras. Cada qual um antídoto para o outro que existiu antes. Cada qual uma reação, uma meia-volta, um rebote".


(Medo de Voar, Erica Jong)

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

"Não há memória mais terrível do que a da pele;a cabeça pensa que esquece, o coração sente que passou,e a pele arde, invulnerável ao tempo.'


Inês Pedrosa

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Pele Negra, Máscaras Brancas

"Todo problema humano deve ser considerado a partir do tempo. Se pertenço irredutivelmente à minha época, é para ela que devo viver. Logo, o futuro deve ser uma construção contínua do homem que existe e esta construção/edificação é ligada ao presente, na medida em que o coloco como algo a ser superado."

Frantz Fanon - 1925-1961
(in: "Pele Negra, Máscaras Brancas" - 1983)

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

"Eu procuro fazer o que se deve fazer, e ser como se deve ser, e me adaptar ao ambiente em que vivo - tudo isso eu comigo, mas com o prejuízo do meu equilíbrio íntimo, eu sinto."


(Clarice Lispector em carta a Elisa Lispector e Tania Kaufmann, Florença, 26 de novembro de 1945)

domingo, 7 de fevereiro de 2010

Quando o carnaval chegar

Quem me vê sempre parado, distante garante que eu não sei sambar
Tô me guardando pra quando o carnaval chegar
Eu tô só vendo, sabendo, sentindo, escutando e não posso falar
Tô me guardando pra quando o carnaval chegar
Eu vejo as pernas de louça da moça que passa e não posso pegar
Tô me guardando pra quando o carnaval chegar
Há quanto tempo desejo seu beijo molhado de maracujá
Tô me guardando pra quando o carnaval chegar
E quem me ofende, humilhando, pisando, pensando que eu vou aturar
Tô me guardando pra quando o carnaval chegar
E quem me vê apanhando da vida duvida que eu vá revidar
Tô me guardando pra quando o carnaval chegar
Eu vejo a barra do dia surgindo, pedindo pra gente cantar
Tô me guardando pra quando o carnaval
Eu tenho tanta alegria, adiada, abafada, quem dera gritar

Chico Buarque

sábado, 6 de fevereiro de 2010

"Primeiro o ferro marca as violências nas costas. Depois o ferro alisa a vergonha nos cabelos. Na verdade o que se precisa é jogar o ferro fora. É quebrar todos os elos dessa corrente de desesperos."

Cuti

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Paixões

"Já que a paixão permanece incrustada no imaginário, é uma fantasia, uma alucinação, na qual a pessoa amada é apenas uma desculpa que nos damos para alcançar a emoção extrema de apaixonar-se. Na realidade, pouco importa quem amamos: por isso podemos repetir uma e outra vez o mesmo paroxismo. Como diz Santo Agostinho, o apaixonado ama é o amor. Uma droga muito bonita, evidentemente; mas a vida autêntica e miúda começa justamente onde o conto termina. Mais além do "foram felizes para sempre."


(Paixões - amores e desamores que mudaram a história, Rosa Montero)

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Recado

Se me der um beijo eu gosto
Se me der um tapa eu brigo
Se me der um grito não calo
Se mandar calar mais eu falo
Mas se me der a mão
Claro, aperto
Se for franco, direto e aberto
Tô contigo amigo e não abro
Vamos ver o diabo de perto
Mas preste bem atenção, seu moço,
Não engulo a fruta e o caroço
Minha vida é tutano é osso
Liberdade virou prisão
Se é amor deu e recebeu
Se é suor só o meu e o teu
Verbo eu pra mim já morreu
Quem mandava em mim nem nasceu
É viver e aprender
Vá viver e entender, malandro
Vai compreender
Vá tratar de viver
E se tentar me tolher é igual
Ao fulano de tal que taí
Se é pra ir vamos juntos
Se